• Inventário quali-quantitativo da arborização existente na sede

    27 de Abril de 2018

    A equipe de trabalho da empresa contratada Architectus deu início, no dia 16 de abril de 2018, o levantamento das informações quali-quantitativas das árvores urbanas existentes nos espaços públicos da sede de Sobral, que fornecerá os dados necessários para a elaboração do diagnóstico da situação arbórea atual do município.

    Figura 01 - Arquitetos fazem levantamento quali-quantitativo da arborização no Centro Histórico de Sobral

    Foram coletadas informações quali-quantitativas das árvores urbanas existentes nos espaços públicos da sede municipal, obtidas por amostragem, considerando 10% dos cruzamentos das vias da cidade. Foram pontuados todos os cruzamentos da cidade em AutoCAD e criada uma malha ortogonal para se sobrepor ao mapa. Dentro de cada módulo (1km x 1km) dessa malha, foram selecionados, aleatoriamente, 10% dos cruzamentos, de modo que, no fim, estavam pontuados 10% de todos os cruzamentos. A partir desses pontos, determinou-se um intervalo de um quarteirão para a seleção das árvores a serem levantadas. Além dos cruzamentos da cidade, foi incluída toda a área tombada correspondente ao Centro Histórico, 10% das praças da cidade e as avenidas com rotatória ou canteiro central largo.

     

    Para a realização do mapeamento georreferenciado e da coleta de dados da arborização existente, foi elaborado um aplicativo específico para o PAS. Na própria plataforma do aplicativo, é possível cadastrar todas as árvores já georreferenciadas. O software conta, ainda, com a vantagem de poder sincronizar, em tempo real, todas as informações obtidas em um sistema web para consulta e gerenciamento.

    Figura 02 - Plataforma do aplicativo desenvolvido para levantamento arbóreo do PAS

    Para o inventário arbóreo, as informações coletadas são as seguintes:

    (a) Data da coleta de dados e nome dos responsáveis;

    (b) Localização da árvore: número da amostra, bairro, nome da rua,;

    (c) Características da árvore: identificação da espécie (nome popular e botânico), diâmetro do tronco (DAP), altura da árvore, condição fitossanitária da árvore, presença de pragas, necessidade de manejo (poda etc.);

    (d) Características do meio: largura da calçada, quantidade e tipo de tráfego, presença de redes de serviços (eletricidade, telefonia etc.), presença de marquises, identificação do local de novos plantios de árvores e outras informações de conflitos identificados.

     

    Figura o3 - Diagrama com informações a serem coletadas nos levantamentos